Horário: Todos os dias. Das 10h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h30. (Aberto, parcialmente, devido às obras de reabilitação do edifício)

Museu Fora de Portas |

Sala Colonial no Museu Picasso de Barcelona, no Simpósio Internacional Archiving – Exhibiting. Going Off-script in Art Archives

Promovido pelo Museu de Lamego, o projeto “Sala Colonial” vai ser apresentado, em Barcelona, pela artista Catarina Simão, no Simpósio Internacional Archiving – Exhibiting. Going Off-script in Art Archives, que vai decorrer nos dias 16 e 17 de março, no Museu Picasso de Barcelona.

O Museu Nacional de Arte da Catalunha e o Museu Picasso de Barcelona organizam um simpósio internacional sobre o tema da prática arquivística na arte do século XXI.

A arquivística moderna postulou os seus fundamentos nos finais do século XIX; estabelecendo os seus princípios básicos, no que diz respeito à proveniência, segundo as suas origens imediatas e funcionais, princípios que deram origem às práticas arquivísticas. No entanto, ao longo do século XX essas noções (proveniência e ordem natural), embora questionadas, não foram submetidas a crítica ou revisão.

Os arquivos e, por conseguinte, os arquivos de arte, não são mais entendidos como séries de documentos imóveis produzidos por uma pessoa ou uma instituição; os arquivos de arte estão constantemente a mudar de vida, pois contêm documentos que são continuamente ativados por arquivistas, estudantes e investigadores, num processo contínuo.

Numa altura em que os arquivos dos museus normalmente fazem parte das suas coleções de arte e ocupam um lugar estratégico na sua abordagem, o simpósio reúne arquivistas, curadores, artistas, historiadores e investigadores de todo o mundo interessados em explorar a prática arquivística contemporânea no âmbito dos museus de arte do século XXI, para debater a peculiaridade da prática arquivística dos arquivos de arte.

Nesse contexto, a artista Catarina Simão abordará a coleção de artefactos pertencentes ao antigo Liceu de Lamego, em deposito no Museu de Lamego, desde 1980, ponto de partida do projeto “Sala Colonial”.

“O inventário dos objetos inclui uma fotografia de cada uma das 288 peças da coleção, mas a sua descrição é breve, com lacunas na identificação de proveniências e doadores. O inventário é omisso em relação ao uso ou função anterior dos objetos ou outros elementos da vida do objeto em Portugal. A escassez do nível de informação obriga a reproduzir a referência geográfica geral “África” para a sua designação, protegendo cada uma destas peças do contacto com a sua historicidade, à semelhança do que fazia o arquivo etnográfico do século XIX.

Em 2021, o Museu de Lamego, em parceria com a Escola Secundária Latino Coelho convidou Catarina Simão a desenvolver um projeto artístico e educativo denominado «Sala Colonial», em referência à sala onde, a partir de 1938, os artefactos eram expostos na Escola, entre mapas, livros, caveiras de animais e um padrão português, à época dito dos Descobrimentos” (Catarina Simão).


Programa e inscrições para participação (presencial ou streaming) AQUI.


Para saber mais sobre o projeto Sala Colonial, clique aqui.