Horário: Encerrado ao público por motivo de obras de reabilitação do edifício

Projeto “Sala Colonial ” | Atividades

SALA COLONIAL | Projeto educativo – Escola Secundária de Latino Coelho, Lamego e Museu de Lamego

Desenvolvido pelo Museu de Lamego e Escola Secundária de Latino Coelho, Lamego, com o apoio da Fundação Calouste Gulbenkian, a Direção Regional de Cultura do Norte e o Município de Lamego, o projeto «Sala Colonial» visa promover a ativação de uma educação crítica e de autoquestionamento em relação ao passado colonial e às suas representações, no favorecimento de uma formação humanista, impulsionadora de condutas cívicas igualitárias e de justiça social.

#1 – O Arquivo

Em novembro passado, apresentámos «Sala Colonial», um projeto artístico e educativo, que faz referência a uma antiga sala de exaltação do Império Português e que existia, a partir de finais dos anos 30, em liceus públicos, como foi o caso do Liceu de Lamego – atual Escola Secundária de Latino Coelho – Lamego. Era na “Sala Colonial” do antigo Liceu que se encontravam expostos um grande número de objetos de proveniência africana que, em 1980, foram depositados no Museu de Lamego, alguns anos após a desativação dessa sala.

Chegou agora o momento de partilhar os primeiros registos de um trabalho que se prolongará por aproximadamente cinco semanas, entre a artista Catarina Simão, a comunidade educativa, os alunos da escola e uma equipa do Museu de Lamego.

Dias 1 e 2 – visita conjunta aos arquivos da escola para identificação de livros e objetos que pertenciam à “Sala Colonial”. Curiosidade: as publicações estavam todas identificadas com um carimbo específico, resultado de um inventário feito na época.

© fotos: Catarina Simão

#2 – Os objetos

Decorreu, no passado dia 21 de fevereiro, a 2.ª sessão do projeto «Sala Colonial».

Os alunos do 10.º ano, turma E, que estão a participar neste projeto, orientados pelo Professor Luís Sarmento, e com a participação da investigadora Catarina Simão, vieram ao museu para trabalharem a coleção de cerca de 300 objetos de proveniência africana, pertencentes à Escola Secundária de Latino Coelho, que faziam parte do recheio da «Sala Colonial», que existia na escola, até 1980.

A sessão iniciou-se com um primeiro contacto direto dos alunos com os objetos, com a finalidade de virem a identificar três deles, que serão alvo de pesquisa aprofundada.

Foi convidado especial desta sessão, o antigo professor do Liceu, Dr. Joaquim Melo (que aí também já havia sido aluno), que partilhou as suas memórias relacionadas com a presença daqueles objetos no antigo Liceu.

O encontro propiciou ainda um interessantíssimo relato, na primeira pessoa – resultante da experiência do professor Joaquim Melo em Angola -, de acontecimentos relacionados com políticas coloniais (nomeadamente, propaganda, treino e mobilização para as frentes de guerra), que tiveram grande impacto naquele país, em Portugal e, de modo particular, em Lamego.

A sessão terminou com a seleção dos três objetos – um bastão de metal, uma estatueta em madeira leve e um pequeno tambor, que vão ser motivo de exame minucioso, com o auxílio de raio-X, a desenvolver na próxima sessão.

©Fotos: Museu de Lamego. Paula Pinto

#3 – Visita exploratória | Em busca de vestígios da antiga «Sala Colonial»

Na manhã do dia 14 de março, a turma E, do 10º ano fez uma visita exploratória no interior da escola, pelos vestígios ainda ativos da antiga “Sala Colonial”. A primeira paragem foi no 1º piso, às duas salas de aula de Informática. Há alguns anos, as duas salas formavam uma só, muito mais ampla, onde, em 1938, foi instalada a “Sala Colonial”.

Os alunos rumaram depois à sala 105 para observarem o “Padrão”, encostado ao fundo da sala, a par com uma série de mapas muito antigos. Prosseguiram a visita no Museu de Ciências Naturais. A professora Helena Beatriz mostrou, uma por uma, as peças que se encontravam na antiga “Sala Colonial”, incorporadas no Museu, quando esta foi desativada, em 1980. Aí, foi a vez de observarem peles de cobra e crocodilo, crânios de hipopótamo, de tigre e leão, para além de sementes e espécies vegetais vindas de Angola, Guiné e Moçambique.

A visita exploratória terminou na biblioteca, onde foram agrupadas as publicações relativas ao antigo Império colonial e fotografias, que faziam parte do recheio daquela sala, recolhidas no Arquivo da escola e nos armários antigos da Biblioteca, no contexto deste projeto. A visita foi acompanhada pela antiga professora Manuela Gama, que propôs aos alunos a leitura crítica de um texto retirado de uma publicação de 1939.

Já na sala de aula, os alunos interpretaram o resultado dos raio-X realizados às três peças da coleção de arte africana, que tinham escolhido durante a anterior sessão no Museu de Lamego, para estudo mais aprofundado.

O nosso agradecimento aos alunos e professores que colaboraram nesta visita de estudo, que serviu para fazer um reconhecimento crítico dos vestígios e símbolos coloniais do antigo Liceu.