Horário: Encerrado ao público por motivo de obras de reabilitação do edifício

Jornadas Europeias do Património Fora de Portas | Património e Sustentabilidade

OIKOS – A CASA COMUM

25 de setembro | Cisterna de Lamego e Convento de Santo António de Ferreirim

Nas Jornadas Europeias do Património, este ano dedicadas ao tema Património e Sustentabilidade, o Museu de Lamego e a Rede de Monumentos do Vale do Varosa, em parceria com o Município de Lamego, Junta de Freguesia de Ferreirim e Paróquia de Ferreirim, apresentam OIKOS – A CASA COMUM, numa iniciativa de João Pereira (Teatro Solo).

No emblemático espaço da cisterna medieval do Castelo de Lamego, pelas 16h00, terá lugar a leitura encenada, por João Pereira, de LAUDATO SI – O Cuidado da Casa Comum, que toma como ponto de partida a Encíclica do papa Francisco com o mesmo nome, numa mensagem de alerta sobre a necessidade absoluta de preservar e de cuidar o planeta, a casa comum. Às 18h30, LUADATO SI terá reposição no Convento de Santo António de Ferreirim, seguido da apresentação do projeto OIKOS – A CASA COMUM, que se pretende se constitua como um fórum regular de discussão sobre ambiente e sustentabilidade, com o envolvimento da comunidade local e a participação de convidados ligados diretamente à temática. Fazendo referência ao projeto desenvolvido no College des Bernardins, em Paris (https://www.collegedesbernardins.fr/), OIKOS – A CASA COMUM é um lugar de diálogo com a sociedade, sobre cultura ambiental, a partir do extinto Convento de Santo António de Ferreirim, de obediência à Ordem fundada por São Francisco de Assis, justamente, uma das primeiras figuras da cultura ocidental a pensar a natureza com espaço de comunhão fraterna.

O projeto será apresentado no contexto de uma conversa moderada por João Pereira, com a participação dos biólogos João Cabral e Alexandre Hoffmann Castela, Alexandra Falcão, museóloga, e o antropólogo, Fernando Ribeiro.

PROGRAMA | 25 de setembro

CISTERNA DE LAMEGO

16h00 | LAUDATO SI – O CUIDADO DA CASA COMUM  

Encíclica do Papa Francisco, por João Pereira (Teatro Solo).

CONVENTO DE SANTO ANTÓNIO DE FERREIRIM

18h30 | LAUDATO SI – O CUIDADO DA CASA COMUM

Encíclica do Papa Francisco, por João Pereira (Teatro Solo).

19h00 | OIKOS – A CASA COMUM

Apresentação do projeto numa conversa moderada por João Pereira (ator), com João Cabral (biólogo); Alexandre Hoffmann Castela (biólogo), Alexandra Falcão (museóloga, coordenadora da Rede de Monumentos do Vale do Varosa), e Fernando Ribeiro (Chefe de Divisão de Cultura e Património do Município de Lamego).

Entrada gratuita, sujeita à capacidade dos espaços.


Sobre os participantes na Mesa Redonda:

Alexandra Falcão

Nasceu em Lamego, em 1972.

Licenciada em História da Arte e pós-graduada em Museologia e Educação, foi técnica superior do Museu de Lamego entre 2004 e 2018, ano em que assumiu a direção do Museu de Lamego e coordenação da rede de Monumentos do Vale do Varosa. Tem participado em publicações, congressos e colóquios, que decorrem do seu interesse nos domínios da história da arte, da educação, da literatura, do cinema e da museologia, esta última enquanto plataforma privilegiada de articulação entre os anteriores. De entre as suas reflexões mais prementes, a possibilidade de construção de novas narrativas para as coleções, edifícios e sua história, no quadro de uma museologia mais participativa, inclusiva, acessível e humanista, alicerçada na relação do público com o objeto artístico e patrimonial. Tem-se, igualmente, debruçado sobre a biografia dos objetos e temas relacionados com mediação cultural e educativa.

Formadora na área da história de arte e museologia, foi assistente especialista convidada na Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Lamego – Instituto Politécnico de Viseu, sendo atualmente docente convidada da Universidade Sénior Jerónimo Cardoso de Lamego.

Alexandre Hoffmann Castela

Nasceu a 27 de agosto de 1988 em Lamego. É licenciado pelas Universidades de Coimbra e Siena (Itália) em Biologia e mestre em Genética e Desenvolvimento pela Universidade de Barcelona (Espanha). Biólogo, ligado à área da Biologia, Proteção e Conservação da Biodiversidade e Consultoria e Educação Ambiental.

Co-fundador de um movimento estudantil e cívico, assente nos valores de Abril, de intervenção e análise política. Dirigente associativo. Membro da Assembleia Municipal de Lamego. Cronista e comentador político em regime de colaboração com a imprensa regional, nos Jornal do Centro e Portal Viseu Now, participante na rúbrica audiovisual “Porvocação”, do Jornal A Voz de Lamego, que opõe perspetivas diferentes sobre a religião e a vida. Escritor com vários títulos publicados: “A Aparição Segundo a Memória”, “O Quadro Vermelho de Jericó” e “As Raízes de Inge”, e “Que me despertem quando o Futuro por aqui passar” e “O resto são Estórias” – Excerto da obra original “Mil-homens”, respetivamente publicados na Obra Coletiva: Lamego 2022- o Antes e o Depois – Lamego, Cidade Poema e na 𝑬𝒔𝒕𝒆𝒊𝒓o.

João Alexandre Cabral

Licenciatura em Biologia (Ramo Científico), em 1992, Mestrado em Ecologia Animal, em 1995, e Doutoramento em Biologia (especialidade em Ecologia), em 2000, graus académicos obtidos na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra. Professor Associado com Agregação do Departamento de Biologia e Ambiente, Escola de Ciências da Vida e do Ambiente da UTAD. Tendo desempenhado diversas funções de gestão académica, é atualmente Coordenador Científico do Laboratório de Ecologia Fluvial e Terrestre da UTAD.

Investigador integrado do Centro de Investigação e Tecnologias Agroambientais e Biológicas (CITAB) com mais de 100 artigos científicos publicados, sobretudo em revistas internacionais com referee, 20 capítulos de livros, 1 livro, 2 patentes e mais de 140 comunicações. Coordenou mais de 90 projetos financiados de prestação de serviços especializados à comunidade, envolvendo mais de 30 entidades/parceiros diferentes, no domínio da monitorização ecológica face a impactes infraestruturais, com especial destaque para o estudo das componentes Fauna (mamíferos, incluindo morcegos, aves, répteis, anfíbios e macroinvertebrados) e Habitats terrestres. Estes projetos produzem bases de dados para a investigação científica produzida, designadamente para modelação e previsão de tendências ecológicas em contextos futuros de alteração dos usos do solo e/ou induzidos pelas alterações climáticas.

João Pereira

Tem 51 anos e é natural do Porto. É ator, formado pelo Arden School of Theatre South Manchester College e Professor de Teatro em contexto psiquiátrico – HML, CHVNG -E, Espaço T, CHCF, Hospital Pedro Hispano, Afua.

É formador em Teatro Terapêutico e Mediador Cultural, com o projeto “Sangue Novo Veias Antigas”, desenvolvido nos Monumentos do Vale do Varosa.

Fernando Ribeiro

Nasceu em 1966, é natural de Rio Tinto – Gondomar, mas reside em Lamego.

Com uma Pós-gradução em História de Arte, é licenciado em Antropologia com especialização em Antropologia Social, possuindo também o Curso de Alta Direção em Administração Pública e um Diploma de Especialização em Gestão Pública.

Foi docente de Geografia e História, Coordenador do Centro de Conservação e Restauro de Viseu do Instituto Português do Património Arquitetónico, Coordenador e Formador dos Cursos Profissionais de Talha e Azulejo do Instituto Português do Património Arquitetónico e Arqueológico – Viseu, Coordenador do Grupo de Trabalho para o Património Integrado da Direção Regional de Cultura do Norte e é Técnico Superior da Direção Regional de Cultura do Norte.

Foi responsável pela elaboração e coautoria de projetos de intervenção em diversos Monumentos, coordenou e participou em equipas pluridisciplinares, em intervenções de Conservação e Restauro do Património Integrado de diversos Imóveis Classificados. Atualmente, Chefe de Divisão de Cultura e Património na Câmara Municipal de Lamego.