Horário: Encerrado ao público por motivo de obras de reabilitação do edifício

In Memoriam | E-Catálogo | Pia

Pia de água benta

Lamego, Séc. XIII

Granito encavo

Proveniência desconhecida

Inv. ML 561

A pia de água benta destina-se a conter a água lustral. Habitualmente em forma de conha ou taça, encontramo-la junto à entrada das igrejas, adossadas nos muros ou erguida sobre um pedestal. Esculpidas em pedra, os primeiros exemplares eram de grande simplicidade formal e decorativa, perdendo-se esta caraterística em épocas posteriores.

O aparecimento das pias de água benta está ligado à necessidade de facultar a todos os que não tivessem participado na aspersão dominical, introduzida no século X, a possibilidade de se benzerem com a água benta (ROQUE, 1988: 99).

De proveniência desconhecida, o exemplar do Museu de Lamego possui a taça circular, de pouca profundidade. Apresenta no registo inferior uma sequência de ornatos, formados por dois arcos quebrados ligados entre si, sugerindo folhas de loureiro, seguido de uma cercadura de semicírculos delimitada por um filete sulcado. O bordo apresenta moldura saliente de perfil plano. O facto de não apresentar labor num dos lados, indicia que originalmente estaria adossada.

Incorporada na coleção de arqueologia do Museu de Lamego, na sequência da entrega dos bens arqueológicos que se encontravam depositados no num jardim camarário, gorada a iniciativa de criação de um museu municipal de arqueologia nas primeiras décadas do século XX.