Horário: Encerrado ao público por motivo de obras de reabilitação do edifício

Museu Fora de Portas

IN MEMORIAM | Abel Flórido e Francisco Laranjo

Inauguração da exposição temporária evocativa do centenário de nascimento de Abel Flórido e Francisco Laranjo

Museu Diocesano de Lamego | 16 de julho | 16h00

 

No próximo dia 16 de julho, pelas 16h00 horas, terá lugar, no Museu Diocesano de Lamego, a inauguração da exposição temporária evocativa do duplo centenário de nascimento do antigo diretor do Museu de Lamego, Abel Flórido e do médico e investigador Francisco Laranjo.

Destinada a rememorar o tributo legados pelas duas personalidades a Lamego, In Memoriam, inclui a instalação «Água. Wed Panorama III» (1994) de Francisco Laranjo – artista plástico, filho do médico, com o mesmo nome, que poderá ser admirada na capela.

Historiador, por formação, e diretor do Museu de Lamego entre 1955 e 1992, Abel Flórido encontra na amizade com o médico Francisco Cordeiro Laranjo, um esteio procedente para reforço da missão de que fora incumbido de conservar, estudar e comunicar o património artístico de Lamego.

Membros da Comissão Diocesana de Arte Sacra, que Abel Flórido integra em 1960 e Francisco Laranjo quatro anos depois, é nesse papel que a cumplicidade de ambos adquire maior visibilidade, expressa nas inúmeras exposições de arte sacra realizadas no Museu de Lamego, com o propósito de promover um diálogo profícuo entre o acervo das igrejas de Lamego e as coleções do museu, com a mesma proveniência.

In Memoriam evoca algumas dessas exposições e das narrativas criadas em torno de mensagens veiculadas pela Igreja, por meio do objeto artístico, suas interpretações, contextos e significados.

Tomando como ponto de partida exposições como «Arte Sacra», realizada no âmbito do Congresso Eucarístico, em 1965, «O Credo na Arte» (1968), «Imaginária da Pedra» (1969), «Invocações de Nossa Senhora» (1970), «Evocação de Alguns Bispos de Lamego» (1976), «A Família na Iconografia Cristã» (1980) e «Iconografia de Bíblia (1988), In Memoriam pretende reinterpretar na atualidade os exemplos apontados, dando expressão às dicotomias Forma – Expografia e Conteúdo-Narrativa.

Através de alguns dos objetos da coleção do Museu de Lamego apresentados In Memoriam convoca, pelo seu simbolismo, a Água vivificante e unificadora.

Forma e Conteúdo como síntese do diálogo cúmplice entre o museólogo Abel Flórido e o médico-investigador Francisco Laranjo.

Numa organização do Museu de Lamego em parceria com o Museu Diocesano de Lamego e Município de Lamego, a exposição ficará patente até ao dia 18 de setembro de 2022, no seguinte horário: terça-feira a domingo, 09h00-13h00 e 14h00-18h00.

A direção do Museu de Lamego.